UX Writing: o que é? O guia completo da profissão
UX Writing

UX Design, User Experience, User Interface: essas palavras já estão bastante populares. Mas o “UX Writing” ainda é pouco conhecido, mesmo tendo diversas vagas esperando pelos profissionais.

É comum que, por ser algo novo, haja diversas dúvidas e confusão entre os outros termos da área de experiência do usuário.

Aliás, o mercado está extremamente aquecido, mas com carência de profissionais. É estimado que essa falta de UX Writers, como são chamados, dure até 2030.

Ou seja, pode ser uma grande oportunidade de escolha ou transição de carreira. Então, se você gosta de escrita, trabalhar de forma colaborativa, usar dados para criar o melhor texto e ama desafios, talvez seja para você o caminho do UX Writing.

Assim, é uma área em grande crescimento. Afinal, cada vez mais as pessoas estão buscando aplicativos intuitivos de se utilizar. E no mundo corporativo, só sobrevive aquele que entregar uma solução descomplicada e efetiva.

Então, o que você vai ver nesse artigo:

UX Writing: o que é?

O termo UX foi cunhado em 1990 pelo professor de ciência cognitiva Donald Norman. Ele descreve que user experience (UX) é influenciar e formar a experiência do usuário durante sua jornada com o produto ou serviço e marca. Ou seja, isso vai além apenas do design, as palavras têm uma posição fundamental nesse ecossistema.

Então, com a profissionalização das áreas, a escrita ganhou seu próprio termo: UX Writing.

UX Writing é o processo de criar textos que aparecem nas interfaces de produtos digitais, como sites e aplicativos. Entretanto, diferente de um copywriting que busca converter, o UX Writing objetiva guiar o usuário através da interface de modo intuitivo. 

Ou seja, é a escrita das notificações, botões, instrução, mensagens de erros que nos ajudam entender o que precisamos fazer.

“Ah, então é só escrever uns textinhos para aplicativos?” Muito pelo contrário. 

O UX writer busca solucionar problemas através da comunicação. Ou seja, ajudar a pessoa conseguir aquilo que ela quer ao entrar no site ou aplicativo.

O universo do UX Writing.

Melhorando a Experiência do Usuário pela Escrita

UX Writing é uma parte dentro do reino do User Experience, fazendo parte da estratégia de conteúdo. A escrita dos microcopy (microtextos, em português) é apenas uma das responsabilidades do UX Writer.

Quando você entra em um aplicativo você quer chegar a um lugar específico, certo?

Por exemplo, ao abrir o Uber você ou quer fazer uma viagem ou pedir comida.

Veja que a Uber fez isso de modo simples e intuitivo para você já sabe onde clicar. Além disso, a notificação do novo recurso comunica seu objetivo de maneira eficaz e em poucas palavras.

Então, a redação da jornada do usuário dentro do aplicativo é responsabilidade do UX Writer.

Para descobrirmos os desafios de um UX Writer, nós da Aldeia entrevistamos a Rafa Marchetti, UX Writer do iFood. Ela nos contou que é “como eu explico ao usuário como se faz um pedido, sem ele precisar me ligar pedindo explicação?” 

Logo, UX writing é sobre fortalecer a marca, facilitar a navegação do usuário, instruir e levar o usuário a tomar alguma ação através da própria interface. Tomando uma importância muito grande na arquitetura de informação, nas palavras e expressões que o público usa, a criação de diálogos.

Assim, na criação de diálogos nós temos um forte crescimento na demanda por UX Writers devido aos chatbots e assistentes de voz. 

Afinal, esses serviços seguem um roteiro que foi previamente pensado e escrito em forma de texto.

UX Writer: o que faz? Como é seu dia-a-dia?

O UX Writer é um profissional que está em constante contato com todas as áreas da empresa, desde o setor financeiro a engenheira de software e designers.

Como o dia a dia é bastante colaborativo com outros profissionais, sendo recorrente as reuniões.

Engana-se quem pensar que deve ser aquelas reuniões cheias de protocolos, extensas e massantes.

Em realidade, a reunião poderá ser algo muito mais “mão na massa”. Ou seja, você e o designer acabam se juntando para fazer um brainstorm de como resolver tal problema, como conta a UX Writer do iFood, Rafa Marchetti.

Mas, não é de reuniões que textos são feitos. Assim, haverá dias que será necessário foco integral na escrita, fazer pesquisas de como os concorrentes estão fazendo e etc.

Uma das atividades diárias do UX Writer será a investigação, pois é necessário entender a fundo seu usuário. Ler reviews, entrevistar usuários, estudos e muitas outras fontes para melhorar a user experience. 

Tudo que você coletar de informação servirá de arsenal para o microtexto na interface digital. Ao passo que você estará envolvido durante toda a experiência do usuário, desde o cadastro, treinamentos, mensagens de erro e muito mais. 

Como podemos ver na ciclo abaixo que a autora Torrey Podmajersky em seu livro Redação Estratégica para UX, o profissional de UX Writing se envolve desde a parte de atração até mesmo as conferências com clientes: 

As etapas da experiência do usuário em que o UX Writing é aplicado.

O papel da escrita para o UX Writer

Aliás, Mariane Lorente, gerente de Design de Conteúdo da Loggi, diz que o ideal é que o texto seja quase invisível, servindo apenas para guiar, motivar e dar feedback ao usuário.

Pois, muitas vezes você precisará explicar uma ação em apenas uma ou duas palavras. Ao passo que você também poderá ser o responsável por criar o guia de escrita da marca.

O Guia de Escrita define a linguagem para a melhor consistência na comunicação e relacionamento. Esse guia é o que estrutura todo o trabalho do UX Writer. 

Mariane explica que pode acontecer que você seja contratado bem na fase inicial do produto, sendo responsável por começar a parte escrita do zero, ou então integrar a equipe já tendo um material feito, mas sem qualquer documentação e consistência.

Aliás, UX Writer não implica em ter que escrever tudo. Sua responsabilidade será de editar, revisar e validar o que os outros profissionais escreveram com base no guia. 

Assim, sua função poderá ser quase que consultiva antes de alguma solução comece ser projetada. Logo, em uma reunião de alinhamento antes da produção você irá entender o contexto, necessidades e oportunidades para ser capaz de recomendar o design da informação, determinar a hierarquia de informações, palavras-chave entre outros.

Aliás, em uma palestra, o especialista brasileiro em UX Writing, Bruno Rodrigues diz: “UX Writing é muito mais UX do que Writing”. Ou seja, é muito diferente de redação criativa, sendo uma escolha de palavras e expressões baseada em dados para serem incluídas em produtos digitais. 

Então, é uma profissão bastante dinâmica e colaborativa e que, segundo Bruno, estará em sempre em constante mudança. Pois, as pessoas mudam com o tempo e o user experience tem que se adaptar a isso.

O Processo de UX Writing: As etapas de um projeto real de UX.

Como já comentamos, o UX Writer não se resume a escrever frases legais para mensagem de erro. Em realidade, você estará muito mais ligado ao desenvolvimento e design de produtos. Tendo influência na criação da interface.

Yuval Keshtcher exemplifica isso muito bem ao mostrar que os UX Writers transformam uma mensagem como essa:

Exemplo de erro de mensagem no Windows.

Em algo mais agradável e mais útil para o usuário. Como exemplo Yuval cita a Dropbox:

Exemplo de erro de mensagem na Dropbox, mostrando o impacto do UX Writing.

Dessa forma, um projeto de UX Writing tem várias etapas até chegar nesse estágio de escrever as frases.

Antes de mais nada, precisamos conversar sobre o Design Thinking, pois é uma abordagem essencial para criar a melhor experiência para o público. Então, antes de iniciar o projeto, nossa mentalidade e forma de trabalho precisam ter o usuário como ponto focal, tudo gira em torno dele.

Design Thinking: empatia para melhores soluções

A abordagem do Design Thinking se fundamenta na empatia com as pessoas em geral, não apenas os clientes.

Para isso, a gente se coloca no lugar das pessoas para entender seus desafios e buscar soluções para eles. Isso é um ponto fundamental para o UX Writing, afinal o nosso desafio é como comunicar com clareza, que seja útil e oriente o usuário. 

Nesse sentido, é pensar em questões como “como o usuário chegou até aqui?”, “o que ele está sentindo?”, “como queremos que ele se sinta?”, “que ações queremos que esse usuário tome?”

Portanto, precisamos deixar de lado nossos preconceitos e se colocar no lugar das pessoas para escrever a mensagem.

Assim, iremos nos apoiar em 3 pilares:

  • Cliente no centro do projeto;
  • Criatividade;
  • Razão para validar a solução.

O Design Thinking não é uma ferramenta ou metodologia que segue etapas bem definidas. Na realidade, funciona como uma nova forma de enxergar o desenvolvimento de projetos centrados no usuário.

Para tanto, é combinado a sensibilidade das necessidades dos usuários com a criatividade para que se chegue em melhores escolhas de expressões e palavras para serem usadas nas interfaces. 

São diversas ferramentas do Design Thinking que pode ser utilizado para alcançar esse objetivo. Por exemplo: mapas mentais, storyboard, brainstorming, pesquisas, cartões de sugestões… Enfim, há uma infinidade de metodologias. 

Etapas do Design Thinking:

  1. Se colocar no lugar do cliente: entendendo suas preferências, necessidades, desafios, etc;
  2. Limitar e definir: não dá para resolver um problema se não sabemos o que ele é. Então, deve se limitar e definir exatamente o que será resolvido primeiro;
  3. Brainstorm: hora de usar post-it na lousa até o financeiro reclamar dos gastos! É deixar as ideias fluírem sem medo;
  4. Protótipo: ao observar as ideias, algumas poderão virar protótipos para que possam ser validados;
  5. Teste: colocar o protótipo na linha de fogo e ver os resultados. Pode ser feito testes com várias soluções para ver qual traz o melhor benefício;
  6. Repetir ou progredir: com os resultados dos testes voltamos ao brainstorm ou progredimos para o desenvolvimento da solução final.

Lembrando que esse “passo a passo” não precisa ser seguido de forma linear. Você poderá muito bem começar direto no brainstorm e ir pro teste.

Essa mentalidade de foco na experiência do usuário e design thinking são essenciais para um UX Writer.

Etapas de um projeto de UX Writing

Falando propriamente dos projetos de UX, temos diversas abordagem. Mas, pegando como base o livro Strategic Writing for UX e o artigo da Nguyen Anh Linh Giang, podemos ter uma ideia geral:

Etapas de um projeto de UX Writing.

Adaptado de Nguyen Anh Linh Giang 

1. Tabela de Voz

Nessa primeira etapa, estaremos definindo a comunicação geral. Tomaremos como base os princípios que queremos comunicar ao usuário. Tendo esses princípios, será possível estabelecer para cada um:

  • Conceitos a serem trabalhados;
  • Vocabulário;
  • Verbosidade;
  • Gramática;
  • Pontuação;
  • Capitalização.

Isso serve para definir qual melhor forma de escrever algo. Por exemplo, para cada princípio é melhor usar “algum último desejo antes de finalizar?”, “mais alguma coisa?” ou “quer algo a mais?”

2. Espectro de tom

Sua mãe quando fala contigo quando quer algo, está brava ou contando algo possui um tom diferente, não é? Porém, em todos os momentos você reconhece que é a voz da sua mãe.

O mesmo funciona para a empresa. Em cada momento da jornada do cliente o tom irá se alterando. Por exemplo, o tom que se utiliza no treinamento é diferente do utilizado no momento de configuração e pagamento.

3. Modelagem e mapeamento do conteúdo

É o momento de definir padrões para o conteúdo ser alinhado aos passos anteriores durante todo o projeto. É assim que os designers e desenvolvedores irão trabalhar em conjunto com os redatores. 

Por isso, é necessário a colaboração entre os envolvidos para criar a modelagem do conteúdo da melhor forma.

4. Rascunho, revisão e publicação

Etapa de efetivamente desenvolver o conteúdo. Como dito, como UX Writer você estará sempre se comunicando com os demais membros da equipe. É uma função bem colaborativa.

5. Testar e acompanhar

UX tem muito teste e avaliação de resultados para conseguir chegar na solução ideal. Por isso, poderá ser analisado dados coletados, entrevistas e avaliações heurísticas.

Disso, podemos acabar voltando para a fase de tom para refazer todo o projeto até acertar.

Mercado de Trabalho: Precisa-se de UX Writers.

As profissões da nova economia estão com muitas vagas em aberto, porém há pouquíssimos profissionais para preenchê-las.

Os clientes estão cada vez mais exigentes com aquilo que eles consomem. E as empresas entenderam isso, ao passo que grandes empresas e até mesmo órgãos governamentais estão investindo em user experience.

Segundo uma pesquisa do LinkedIn, em 2020 o UX foi uma das habilidades que as empresas mais necessitam.

Lista de 10 Hard Skills necessitadas na empresas. O UX Design está em quinto lugar.

Para a autora do artigo, Deanna Pate, as pessoas estão cada vez com menos paciência para produtos que não são intuitivos. Então, as empresas necessitam cada vez mais de profissionais para criar produtos e experiências centradas nas pessoas.

Aliás, o UX Writing tem um futuro muito promissor. Cada vez mais estamos envolvidos no meio digital, até para comprar a feira da semana usamos o celular. Para que isso seja algo fluido e intuitivo para as pessoas, é necessário de bons UX Writers.

Ademais, segundo o estudo da NNGroup, até 2050 podemos ver 100 milhões de profissionais na área de UX.

Gráfico de estimativa e projeção da quantidade de profissionais de UX até 2050.

Só para termos uma ideia do crescimento, entre 1983 e 2017 o número de profissionais de UX cresceu 1000x, sendo esperado que o crescimento de 2017 até 2050 seja de 100x.

Ou seja, é um mercado que tem muito espaço para crescer e está sendo cada vez mais necessário para as empresas se manterem competitivas.

Esse é um ótimo momento para ser um UX Writer no Brasil

Ainda é um mercado pequeno no Brasil, mas que está ganhando tração ano após ano. Claro que no momento muitas empresas estão focando nos UX Designers, já que o UX Writing, segundo Bruno Rodrigues na UX Conf de 2019, tem apenas 4 anos de existência. Ou seja, é bem recente.

Porém, como ambas áreas estão intimamente ligadas, podemos ver que a escrita da experiência do usuário tem um potencial enorme. E isso já está acontecendo com o aumento de profissionais de UX, como demonstrou o estudo do NN/g.

Aqui na Aldeia conversamos com os recrutadores (confira as entrevistas em nosso canal do Youtube!) e ouvimos que há mais vaga do que candidatos.

Cá entre nós, é um ótimo momento para entrar nesse mercado e se destacar. Um mar de oportunidades e pouca gente aproveitando…

Não acredita? Veja nossa página de vagas aqui da Aldeia. Temos diversas vagas em aberto para UX Writer em empresas como C6 Bank e QuintoAndar.

Salários de UX Writing: Quanto ganha um UX Writer em 2021.

Com certeza você deve estar curioso para saber quanto um profissional de UX Writing ganha, não é?

Segundo a Glassdoor, a média salarial é de R$ 4.120,00. Mas, isso é um valor pago para quem tiver entre um a dois anos de experiência.

Os sêniores (passando aí de 8 anos de caminhada) reportaram um salário que passa dos R$ 9.000,00! Nada mal.

Salários UX Writing.

Ilustração por Stories Freepik

É importante notar que por ser uma profissão nova, não há tantos dados sobre a média salarial. Mas, comparando com os salários de outros profissionais de UX vemos que o salário médio fica por volta dos R$ 4.000 a R$ 4.800, chegando aos quase R$ 10 mil conforme sua experiência.

Principais profissionais que se tornaram um UX Writer.

Importante notar que a redação de conteúdo digital ajuda a empresa a atrair e engajar clientes e potenciais clientes, ao passo que UX Writing está focado em ajudar o cliente.

Podemos ver muitos profissionais de diversas áreas indo para o UX Writing. Como a Tatiana Grapsas que saiu da Publicidade para UX Writing no Mercado Livre. Outras áreas anteriores dos profissionais são:

  • Jornalistas, como a Marcela Alves que agora é Content Designer no iFood;
  • Redatores de conteúdo web;
  • Revisores;
  • Social Media, como a Rafa que comentamos aqui;
  • Editores entre vários outros.

Percebemos que todas essas profissões possuem uma paixão pela comunicação de alguma forma.

Assim, se você está em uma área e está pensando em dar uma reviravolta na carreira, UX Writing é um oceano a ser desbravado.

Como dito anteriormente, há muito mais vagas do que candidatos. É um mercado novo no Brasil. Então, tendo dedicação e vontade de aprender, a transição é possível!

Se você já for um profissional como os citados acima, conseguir a recolocação será mais simples. Haja visto que você já possui um ótimo conhecimento de comunicação e um curso como da Aldeia sobre o UX Writing fará os olhos dos recrutadores brilharem.

Como ser um UX Writer

Como começar no UX Writing.
Ilustração por Stories Freepik

Para ser um UX Writer o caminho é o conhecimento e prática. Comunicação é assim: você estuda, testa e aprende com os resultados.

“Mas, como que eu vou ter prática se não conseguirei as vagas?!”

Realmente as vagas comumente pedem experiência prévia. Contudo, isso não significa que só vale um emprego de carteira assinada.

Por isso, vai ai umas dicas para você começar:

1. Crie Cases de UX Writing sozinho

Elaborar estudos e cases são uma ótima forma de você colocar seu conhecimento em prática e aprimorar-se.

Isso é essencial, como a Rafa Marchetti nos conta sobre como conseguir uma vaga sem experiência.

Os estudos pode ser pegar um aplicativo que sua família e amigos usam e fazer uma pesquisa sobre suas experiências. Ver o que funciona e o que não funciona, buscando elaborar soluções diferentes.

Demonstre os pontos fracos e fortes que você encontrou. Mostre como seria sua mensagem de erro ou de call-to-action, por exemplo.

Logo, você poderá publicar esse seu exercício em comunidades e ter feedback de outras pessoas. Dessa forma, você faz networking e de quebra consegue ter um material que demonstra para os recrutadores sua capacidade de resolver problemas.

2. Vá além dos das pesquisas de UX Writing

A internet é um poço sem fundo de conhecimento. Você consegue estudar qualquer coisa. Portanto, não tem desculpas.

Arregace as mangas e mergulho das informações. Vá além da escrita, entenda sobre design, psicologia, marketing, economia comportamental entre outros assuntos.

Por exemplo, um vídeo do Nerdologia incrível sobre a linguagem alienígena no filme A Chegada. Perpassando por diversos aspectos de como nos comunicamos, podemos aplicar conceitos de neurociência e psicologia nos projetos de UX Writing.

Assim como será importante entender sobre análise de dados. Afinal, essa profissão não é tão ligada na escrita criativa. De fato, o UX Writer irá se apoiar muito em pesquisas e dados coletados para conseguir escolher as melhores palavras e expressões.

Nesse aspecto, John Saito, designer na Dropbox, tem um artigo incrível de como o uso de dados ajuda UX Writers tomar as melhores escolhas. Um exemplo que ele deu foi como usar “sign your signature” na primeira versão da função no Dropbox fazia nenhum sentido, pois a expressão raramente era usada. 

Ao passo que ao comparar com “sign your name” era muito mais comum. Assim, não foi difícil de convencer o time a mudar a expressão na funcionalidade de assinaturas do Dropbox.

Enfim, tudo isso irá agregar na sua bagagem que permitirá fazer projetos de UX Writing cada vez melhores.

3. Faça networking com outros UX Writers

Repetindo: UX Writing é uma área nova. E o conhecimento é gerado de forma colaborativa. Por isso, esteja engajado nas comunidades e acompanhe referências no LinkedIn, por exemplo.

Dessa forma, você está sempre dentro das novidades, aprimora suas habilidades e criar contatos que poderão te ajudar a entrar no mercado.

Claro, não pode esquecer de ter um bom currículo com boa apresentação para se candidatar nas vagas.

Como aprender UX Writing

Aprenda UX Writing.
Ilustração por Stories Freepik

O estudo nessa área é bastante dinâmica. Nesse sentido, temos cursos, livros, artigos, podcasts, lives… Enfim, é informação que não acaba mais.

Nesse sentido, é importante conhecer sobre como criar um guia de escrita e o UX Writing Workflow. Essas são duas ferramentas essenciais para saber antes de começar um projeto de UX Writing.

Também é importante conhecer sobre:

  • Análise de dados;
  • Design;
  • User Interface (UI);
  • SEO;
  • Personas;
  • Copywriting.

Mas, não se limite a apenas esse conteúdo específico da área. Sempre esteja lendo e interagindo com as pessoas para agregar ainda mais informações.

“Tudo que você aprende você consegue agregar para trabalhar como UX Writer, pode ser algo de psicologia, linguística, design ou mesmo algo que você que tem nada a ver, mas no final faz todo sentido. Afinal, estamos lidando com pessoas e comunicação”. — Rafa Marchetti, UX Writer iFood.

E como a Rafa diz, estamos lidando com pessoas e comunicação que não depende apenas de regras gramaticais. Por isso, assuntos como psicologia, marketing e negócios também devem fazer parte do seu repertório.

Assim como outro tópico importante na sua lista de estudos é as ferramentas utilizadas pelas empresas. 

Cursos para UX Writers

Cursos são essenciais para dar aquele primeiro passo na sua nova carreira.

Portanto, um UX Writer precisa estudar sobre:

  • Concisão na escrita: se comunicando com o mínimo de palavras;
  • Habilidades de edição de texto;
  • Microcopy;
  • Copywriting;
  • UX Design;
  • Criação de textos para diferentes formatos (sms, notificações, CTAs);
  • Escrevendo diálogos na plataforma;
  • Entendendo a Jornada do Usuários;
  • Guias de Estilo, Voz e Tom;
  • As principais ferramentas para ser mais produtivo e trabalhar de forma colaborativa;
  • Análise de dados;
  • Métodos de pesquisa;
  • Boas práticas para testar e avaliações heurísticas;
  • Montar e entender a persona, entre outros.

Enfim, vemos que o UX Writer precisa ter conhecimento sobre diversas áreas.

Procurar todas essas informações em livros e artigos pela internet vai um trabalho enorme. Por isso, nós aqui da Aldeia juntamos os profissionais mais fodas do mercado para criarmos os melhores cursos.

Aqui você encontra curso de:

Nossos cursos da Academy Online são formulados para ser algo direto e reto, sem enrolação e bastante mão na massa.

O conteúdo é todo planejado para que você termine tendo todos os conhecimentos necessários para você começar sua carreira do jeito certo.

Ademais, temos os Skillbombs que são cursos grátis 100% online e ao vivo com super-profissionais. Para saber quando terá a próxima siga-nos no Instagram e inscreva-se na newsletter para perder suas oportunidades de ser um melhor profissional na nova economia.

O curso não é o fim, mas o começo da sua jornada no UX Writing. Por isso, é essencial que você vá fundo em outras fontes de informações. Leia livros, participe de comunidades e acompanhe referências da área.

Para te ajudar, vamos te dar umas dicas, vamos lá!

Livros para UX Writing

Livros para Aprender UX Writing.
Ilustração por Stories Freepik

Existem diversos livros de UX Writing e user experience no geral. Contudo, muitos deles ainda não foram traduzidos.

Então, ter inglês nessas horas vai ser importante para você conseguir avançar rapidamente na carreira e trabalhar nas grandes empresas.

Microcopy: the complete guide — Kinneret Yifrah

Podemos considerar esse livro da Kinneret Yifrah como essencial para todo UX Writer. A autora é referência mundial quando se trata de microtextos e UX Writing. Porém, ainda não tem tradução para o português.

É um livro bastante didático, cheio de exemplos e dicas úteis para o dia a dia. Para adquirir esse livro você pode comprar na Amazon (se tiver estoque) ou no site da própria autora.

Strategic Writing for UX — Torrey Podmajerksy

Esse já é um livro disponível em português sob o título “Redação Estratégica para UX Writing”.

Durante esse texto você deve ter percebido eu tendo citado essa obra algumas vezes. De fato, é um dos principais livros para quem quer atuar nessa área.

Torrey trouxe bastante exemplos e imagens para melhor entender os conteúdos, além de ótimos insights aplicáveis na prática.

Em busca de Boas Práticas de UX Writing — Bruno Rodrigues

Não seria possível deixar de fora dessa lista essa obra. O melhor: é selo made in Brazil!

Isso mesmo, o livro “Em busca de Boas Práticas de UX Writing” foi escrito por Bruno Rodrigues, uma das maiores referências de UX Writing no Brasil.

Aliás, foi o primeiro livro em língua portuguesa nessa área. Dessa forma, é um bom livro para quem está começando a estudar UX Writing e quer ter uma noção geral.

Conversational Design — Erika Hall

Livro para se aprofundar na interface humana de modo a entender como as conversas são um ótimo modelo para produtos centrados no usuário. Mas, não possui versão traduzida.

Assim, Erika Hall em Conversation Design busca discutir sobre como deixar os sistemas digitais mais intuitivos e humanizados. Nesse livro você entenderá sobre a interface humana, como usar o poder da personalidade e interações que conversem com usuário.

Design Thinking: uma metodologia poderosa para decretar o fim das velhas ideias — Tim Brown

Por fim, temos o livro de Tim Brown sobre o Design Thinking que discutimos anteriormente. Com essa obra você poderá entenderá melhor sobre os motivos de adotar essa abordagem.

Nesse sentido, ficará mais claro como esse processo colaborativo que combina sensibilidade com criatividade para resolver problemas.

Portanto, esse é um ótimo livro introdutório ao Design Thinking para você iniciar sua jornada. 

Perfis de UX Writers famosos que você deve seguir

Bruno Rodrigues: um dos principais nomes do UX Writing, sendo o autor do livro que recomendamos no tópico anterior: Em busca de Boas Práticas de UX Writing. Também é autor de “UX Writing: Principios y Estrategias” (publicado na Espanha).

Aliás, para se ter uma ideia, o Bruno já prestou consultoria até mesmo para a Presidência da República.

Cristina Luckner: de jornalista para Content Strategist & UX Writer da Nubank. Cristina também é fundadora da comunidade UX Writers Brasil.

Analu Lima: UX Writer da Zup Innovation e com passagem pela PagSeguro, sendo especialista em tornar a vida dos usuários algo simples, prático e prazeroso.

Marcela Alves: formada em jornalismo, ela é Content Designer do iFood. Com 4 anos de mercado de UX criando conteúdos e pesquisas com usuários.

Roberta Cadenas: UX Writer da Creditas liderando, definindo e conduzindo todo o processo de design para interfaces conversacionais.

Rafaela Marchetti: também é UX Writer no iFood, sendo responsável pelos textos que nós vemos no aplicativo. Aliás, temos uma entrevista super legal com a Rafa que você pode conferir na íntegra no Youtube.

Mariane Lorente: com 20 anos de experiência em estratégias de comunicação e conteúdo, hoje é gerente de Content Design na Loggi.

Yuval Keshtcher: agora como referência internacional, e já citado nesse artigo, Yuval é fundador da UX Writing Hub e em seu blog no Medium tem diversos textos ótimos na área de UX Writing.

UX Collective: aliás, seguindo na recomendação internacional, o blog UX Collective é um dos principais lugares que você pode encontrar grandes nomes do mundo de UX Writing publicando conteúdos super valiosos de graça.

Eventos para UX Writers: não perca esses

Eventos para UX Writers.
Ilustração Freepik.

UX Writing Day: evento presencial que acontecerá em São Paulo em abril de 2021. Contará com nomes de peso como da Cris Luckner, Bruno Rodrigues, Mariane Lorente e muitos outros.

UX Conf BR: uma das principais conferências do mundo UX aqui no Brasil. A próxima edição será em setembro de 2021 em Porto Alegre.

UX Writer Conference: em fevereiro de 2021 terá a conferência de UX Writer. Será um evento internacional online. Porém, será um evento pago, custando $150,00 para quem comprar o lote até 23 de dezembro de 2020.

Comunidades e grupos de UX Writers: quais as principais?

É importante também se conectar com os profissionais na área para aprender com eles, ter insights e fazer aquele networking. Veja alguns das principais comunidades de UX Writing:

Microcopy & UX Writing Brazil no Facebook: grupo originado pela primeira turma do curso ministrado pelo Bruno Rodrigues.

Microcopy & UX writing no Facebook: grupo internacional sobre UX Writing.

UX Writing Brasil no LinkedIn: grupo do LinkedIn para trocas de experiências entre profissionais da área.

Microcopy & UX Writing no LinkedIn: grupo também do LinkedIn, mas em inglês;

Content Strategy: grupo em inglês no LinkedIn focado na publicação multicanal. Possui mais de 40 mil integrantes interagindo sobre microconteúdo, UX, técnicas, marketing, aprendizado e muito mais.

Enfim, animado para começar sua carreira em UX Writer? Então não perca tempo! Aqui na Aldeia temos um curso que tá com promoção por tempo limitado no bootcamp de UX Writing online.

São 14 horas de conteúdos intensivos e direto ao ponto, ministrados pelos melhores profissionais da área.