palestras | Aldeia | Movimento de Realizadores

Como terminar uma apresentação arrasando

Você sabe que é importante ganhar a atenção do seu público desde o começo de uma apresentação, painel ou palestra. Mas, se o começo tem que estar impecável, o andamento dela e o final também são importantíssimos.

Além de caprichar muito no conteúdo da sua apresentação e desenhá-la desde o início pensando nos pontos altos e baixos para a plateia, você também precisa se atentar para a maneira de se apresentar.

A gente já listou as 10 frases que estragam qualquer apresentação para você não errar na hora de falar com uma plateia e, agora, vamos te mostrar como terminar uma apresentação arrasando e transformar o seu último slide em um grand finale.

1. Esqueça o slide “Perguntas?”

É muito mais interessante que as perguntas sejam feitas e respondidas conforme a apresentação for acontecendo. Isso garante que elas estarão relacionadas ao conteúdo apresentado e que a resposta esteja fresquinha e bem formulada na sua mente. Então pode tirar esse slide final do seu arquivo: deixe que as pessoas se envolvam com o que você está passando para elas e incentive isso. Com certeza isso vai deixar todo mundo mais interessado.

2. Use um call to action

O objetivo da maioria das apresentações é levar as pessoas a tomarem uma atitude: estudar aquele assunto, avaliar aquele conteúdo bem, comprar a ideia ou investir no seu negócio. Um jeito legal de terminar sua fala, então, é colocar algum comando no imperativo, como “participe”, “apoie essa causa” ou uma frase que tenha relação com o produto, serviço ou projeto que você está apresentando.

3. Saiba como terminar uma apresentação com uma história

Outra ideia que pode destacar sua apresentação é finalizar com histórias que sintetizem e exemplifiquem o que você explicou anteriormente. O poder que boas histórias têm sobre a atenção das pessoas é fenomenal (você pode aprender um pouco mais sobre isso nesse Curso de Storytelling).

Não precisa ser uma longa história – até para que ninguém fique cansado e comece a te achar uma pessoa monótona -, mas você pode contar uma história que aconteceu com você, com alguém que você conhece ou até mostrar uma palestra do TED Talks que tenha a ver com o seu conteúdo.

4. Coloque uma frase famosa, inspiradora ou divertida

Gente que sabe como terminar uma apresentação do melhor jeito costuma colocar quotes no final da apresentação, depois de mostrar um projeto longo ou propostas com muitos números e dados. Faça isso de uma forma que leve a galera a pesquisar mais sobre o conteúdo ou, ainda, que sintetize o que você falou e faça as pessoas rirem um pouco. Procure autores, referências de filmes, séries e até frases famosas de personagens queridos pelo seu público — e que tenham a ver com o seu negócio!

5. Entregue o seu conteúdo de alguma forma

Tem um slide legal? Passou vídeos ou posts de algum blog? Disponibilize isso para quem está assistindo. No final da sua apresentação, você pode liberar o arquivo com o que você mostrou ou pedir a autorização das pessoas para enviar um e-mail com todas as considerações da reunião. É legal para quem te assistiu ter acesso a isso depois que você for embora: eles podem rever termos, estudar o conteúdo ou levar a informação para outras pessoas (além de sentirem que você se importa com elas ao disponibilizar o que apresentou!).

Dica extra: capriche na hora de planejar sua apresentação desde o início

Nenhuma apresentação consegue prender a atenção do público 100% do tempo. Quando você ainda está anotando algumas ideias no papel, começando a planejar sua fala, já é possível perceber quais serão os pontos altos e baixos daquela apresentação.

O principal de tudo é saber organizar esses pontos magistralmente para que o público tenha a melhor experiência possível, mantenha o foco e absorva o seu conteúdo.

Quer saber na teoria e na prática como narrativa, formato, conteúdo, oratória, comunicação não-verbal, emoções, e, é claro, uma dose de storytelling funcionam?

Pecha Kucha Night: o que é e por que vale a pena ir

O que é

A Pecha Kucha Night nasceu em 2003 em Tóquio, criada por Astrid Klein e Mark Dytham. A ideia original era ceder um espaço em que designers e arquitetos pudessem se encontrar para trocar ideias e mostrar seus trabalhos para o público de forma divertida, informal e criativa.

Hoje, disseminado por 840 cidades do mundo, o formato define que cada participante pode usar apenas 20 imagens, cada uma exibida por 20 segundos, totalizando seis minutos e 40 segundos. Além disso, é determinado que cada noite pode receber no máximo 14 apresentações e que o início deve acontecer às 20h20.

“Pecha Kucha” é a expressão japonesa utilizada para se referir ao som produzido durante um conversa, o chamado “burburinho”. Além das regras do tempo e do número de palestrantes, também é definido que os projetos e pessoas apresentados não podem ser mainstream, pois a ideia do evento é justamente ser a ponte que traz essas pessoas do mundo underground para os holofotes da cidade.

Pecha Kucha Night Curitiba

O evento chegou em Curitiba pelas mãos da Aldeia em 2011. Desde então, foram realizadas 8 edições com temas e lugares inusitados. Já rolaram palestras com histórias que dariam filme em espaços como o canteiro de obras de um dos maiores shoppings da cidade e em uma capela.

O melhor jeito de entender é assistindo. Então olha só algumas das palestras mais bacanas que já aconteceram:

Como faço para ir?

Se você quer garantir o seu lugar para a próxima edição, fique de olho desde já na sua caixa de entrada e redes sociais, que vamos avisar por lá quando rola a próxima edição do PechaKucha Night em Curitiba.

10 passos para apavorar participando de um painel

Você é convidado para participar de uma painel. Fica feliz, afinal, isso quer dizer que o seu conhecimento sobre o assunto é reconhecido e que você vai poder dividir um pouco da sua experiência.

Mas depois pode bater o pânico. Como vai ser? O que vão te perguntar? O que você vai responder?

Calma. Participar de um painel – e causar uma ótima impressão nele- é mais fácil do que você pensa. É só seguir esses 10 passos:

1. Sorria

Sorria sempre, anote os comentários das pessoas e dê risadas durante a conversa. Você vai mostrar que está relaxado, é inteligente e ainda cria uma empatia bem legal com todos.

2. Sente na ponta

Tente sentar nas pontas, para não ter que ficar girando de um lado para o outro – isso pode ser desconfortável. Olhe para a pessoa que está falando, e, quando estiver falando, olhe para todos e para o público. Vá variando o olhar.

3. Reflita

Antes do painel, faça uma reflexão individual sobre o assunto proposto e saiba mentalmente quais são os 3 principais pontos do assunto. A conversa provavelmente vai circular por aí.

4. Estude (stalkeie)

Antes do painel, veja quem são os outros participantes, quais suas especialidades, personalidade e até bata um papo com essas pessoas.

5. Chegue cedo

Tente chegar uma hora antes do painel e vá conversando com as pessoas, principalmente com o moderador e com os outros participantes. Isso vai te ajudar a ficar mais calmo na hora da discussão.

6. Converse com o moderador

Diga que você está disponível e empolgado, pergunte o que ele acha importante sobre o tema, apresente os principais pontos que você levantou também e pergunte a opinião dele sobre isso. Ele provavelmente vai direcionar essas perguntas para você.

7. Ponha-se no lugar do público

Sempre pense com a cabeça do público, e não com a sua. O que seria legal para o público saber sobre a pergunta?

8. Não seja prolixo e conte histórias

Se o assunto é superficial, vá direto ao ponto, com ênfase na parte mais importante da resposta. Depois, conte uma história legal que ilustra a resposta. Isso funciona muito bem e deixa sua participação muito bacana. A resposta é superficial, mas suas histórias são únicas e justificam sua participação no painel. Formato: resposta superficial + história.

9. Complemente

Construa sobre as respostas dos outros. Se você tem algo a contribuir, peça para complementar a resposta e tente utilizar uma história.

10. Não discorde

Discordar de alguém abertamente nunca é recomendável. Quando for trazer novos pontos de vista, sempre diga que está complementando com uma situação pontual. Se quiser colocar uma pessoa na fogueira porque você discorda dela, coloque sua discordância em formato de pergunta, nunca diga que discorda.

Aldeia representa o Brasil em conferência de coworking na Ásia!

No final do ano passado tivemos a oportunidade de participar da Coworking Europe, que rolou em Lisboa. E agora vamos voar um pouco mais longe: nos dias 29, 30 e 31 de janeiro rola em Bali a Coworking Unconference Ásia (CUAsia), e vamos representar os coworkings brasileiros por lá!

Essa vai ser a primeira edição do evento, que pretende discutir o trabalho colaborativo e as mudanças que estão ocorrendo no cenário da economia criativa mundial entre criativos, artistas e outros profissionais da economia criativa.

O espaço que vai sediar a conferência se chama Hubud e foi o primeiro coworking de Bali, na Indonésia. O ambiente lá é superlegal e temos certeza de que os três dias de conferência vão ser demais! Para saber mais sobre o que vai rolar lá é só dar uma olhada aqui.

Depois que acabar contamos tudo que rolou aqui no blog e nas redes sociais! (:

Confira algumas fotos do nosso destino:

hubud3

hubud2

hubud1

hubud4

Aldeia representa o Brasil na Coworking Europe

Na próxima segunda-feira, dia 24/11, começa a quarta edição da Coworking Europe, um dos maiores eventos de coworking do mundo. E a Aldeia estará lá representando o Brasil e falando um pouco sobre o cenário do coworking daqui! Fomos selecionados pelo Ministério da Cultura por meio de um edital para participar desse evento tão legal.

Essa conferência, que esse ano rola em Liboa e vai até dia 26/11, reúne nomes internacionais para debater o mercado de coworking no mundo. São esperadas cerca de 350 participantes dos sete continentes nessa edição. Lá rolam várias palestras e são debatidos temas como empreendedorismo, inovação e, principalmente, o futuro desses locais de trabalho e desenvolvimento de negócios. O Ricardo Dória, que é fundador da Aldeia, vai palestrar lá e será o único representante brasileiro no evento.

Como nas conferências anteriores, a edição de 2014 visa abordar abertamente todos os temas relacionados com o modelo de coworking. O evento também é uma oportunidade superlegal para compartilhar as melhores práticas, conectar-se e, por que não, construir e colaborar em novos projetos. Vem coisa muito legal por aí!

Saiba mais sobre o evento aqui.

UPDATE: Além de assistir a várias palestras, o Ricardo aqui da Aldeia participou do painel “Independent workers, nomadic employees”

Confira o que rolou no evento.

aldeia coworking europe