A demanda por criatividade na equipes está aumentando nestes tempos de rápido avanço tecnológico. Isso é evidente quando vemos empresas multinacionais como o Google configurando algo conhecido como um programa ou política de 20%, onde os desenvolvedores do Google passam 20% de suas horas de trabalho (um dia no trabalho) em projetos paralelos. Foi uma tentativa de dar aos empregados tempo e espaço para pensar de forma inovadora. Na verdade, a política funciona bem, com alguns dos melhores produtos do Google (por exemplo, Google News) vindos do programa.

Se você ainda tem dúvidas sobre por que você deve ser mais criativo no trabalho, não deixe de ler nossos outros conteúdos sobre o tema.

Alguns de vocês podem pensar que a criatividade é uma característica inata em vez de algo que pode ser aprendido e desenvolvido. Algumas pessoas podem até ter aptidão para resultados e um pensamento mais criativo, mas sem um ambiente propício para que a inovação seja expressada, como podemos esperar ver ideias nascendo de funcionários criativos? É precisamente sobre isso que este artigo trata – para mostrar as formas que você pode adotar no local de trabalho para encorajar os funcionários a buscar inovação em seu trabalho. Vamos falar aqui de 11 como estimular a criatividade na sua equipe.

1) Recompense a criatividade.

Se você deseja que os funcionários pensem fora da curva, você precisa motivá-los com alguma forma de recompensa. Além disso, as sugestões devem ser levadas a sério para que os funcionários estejam dispostos a criar formas mais criativas de melhorar o local de trabalho. Caso contrário, todos vão pensar que é uma perda de tempo tentar tirar alguma coisa criativa de suas cabeças com sugestões que não serão implementadas de qualquer maneira.

Para dar início aos trabalhos, você pode definir metas para que seus funcionários pensem em algumas maneiras de tornar os processos de trabalho mais eficientes. Talvez cada funcionário possa ser encarregado de fornecer uma sugestão até o final de cada semana e você avaliará qual ideia é a melhor. Isto será seguido com uma recompensa para o empregado e, igualmente importante, a implementação. A recompensa pode ser tangível, como incentivos monetários, ou intangíveis, como o reconhecimento da organização ao anunciar o vencedor ao resto.

2) Criar um ambiente confortável para os diferentes tipos de pessoas.

Seus funcionários talvez já estejam motivados para serem criativos, mas não têm saídas para expressar suas ideias maravilhosas. Enquanto os mais extrovertidos podem sempre falar com seus líderes sobre algumas sugestões que eles têm em mente, outros podem ser muito tímidos ou ter medo de fazer dessa maneira. Fornecer uma caixa de sugestões ou qualquer coisa semelhante, concederia a esses funcionários o anonimato e a confidencialidade que desejam, inspirando assim o espírito criativo que deseja incutir como parte da cultura organizacional.

No entanto, se você nunca leu nada sobre como estimular a criatividade na sua equipe, saiba que algumas das ideias mais criativas nascem de sessões de brainstorming onde um grupo de pessoas discute e debate sobre possíveis soluções para um problema. Ter um canal privado para que os empregados possam contribuir com ideias pode, assim, dificultar o processo criativo. Além disso, aqueles que fornecem as ideias efetivas não serão identificados e obterão o reconhecimento de que precisam. Seja sábio em equilibrar os meios privados e públicos para que sua equipe e funcionários proporem suas sugestões.

3) Crie grupos de inovação.

Uma forma mais sistemática de promover a criatividade no local de trabalho consiste em criar equipes de inovação. Cada grupo de inovação será encarregada de apresentar ideias sobre como melhorar o processo de trabalho em um aspecto específico. Os prazos devem ser estabelecidos para garantir que as equipes apresentam suas ideias e sejam recompensadas se forem excelentes. Quando feito corretamente, isso indicará a todos que a organização valoriza a criatividade relacionada ao trabalho.

Uma tentativa é que essas equipes de inovação possam ser vistas como também “deliberadas” para alguns funcionários. Supostamente, a criatividade deve ser espontânea; Ideias decorrentes do golpe de sorte. Ter tais equipes pode fazer parecer uma tarefa extra para aqueles que lhes são atribuídos, e a abordagem sistemática (ou seja, o foco em um único tópico) pode se deparar com uma rígida força para que a criatividade floresça.

4) Apoie erros (e até comemore eles).

Os funcionários podem não querer assumir riscos porque não sabem se a organização apoia a criatividade e os “lados negativos” dela. Isto é, quando você precisa orientar a organização na direção certa e mostrar que a criatividade é altamente bem avaliada. Afinal, é um jogo de tentativa e erro e a sua equipe sabe muito bem que não vai acertar sempre de primeira. Isso tem muito a ver com o quão receptivo você é com as ideias e como você divulga sua intenção em estimular a criatividade na sua equipe.

Uma das razões pelas quais os funcionários não estão pensando fora da caixa ou se encontrar com uma solução muito diferente da forma como as coisas costumavam ser feitas é que eles podem ter medo das repercussões de cometer erros. A tomada de riscos deve ser encorajada e ser vista como uma norma na organização. Desenvolver uma cultura criativa leva tempo, mas começa com a administração sendo mais aberta e menos criteriosa para as sugestões dos funcionários.

5) Promova a diversidade entre os empregados.

Como as diferentes ideias podem trocar se todos pensarem de maneira semelhante? Empregados com origens, qualificações, experiências e histórias similares criam um ambiente de trabalho homogêneo. Talvez ter tal homogeneidade entre os funcionários facilite o vínculo de equipe, mas quando se trata de criatividade no local de trabalho, uma multidão uniforme e agradável deixa pouca margem para que as ideias floresçam.

Em vez de estabelecer pré-requisitos rigorosos de recrutamento, você pode considerar dar mais permissões em seus critérios. Contrate equipes de diferentes conhecimentos e antecedentes e leve-os a se misturar em projetos e até eventos de empresas. Organize configurações mais informais entre funcionários com perfis diferentes para a troca de pensamentos.

6) Crie um ambiente de trabalho positivo.

Às vezes, uma mentalidade muito séria pode dificultar a criatividade. Divertir-se durante o trabalho permite que alguém fique relaxado e é aí que alguém se inspira em ideias maravilhosas. Uma desculpa frequentemente usada é que um ambiente de trabalho estressante ou mesmo deprimente não te dá gás para pensar em fazer as coisas de forma diferente. O seu funcionário só vai aguardar o fim do dia.

Estudos de psicologia revelaram que o humor positivo pode estimular a criatividade. A ideia é que o humor positivo nos concede maior flexibilidade no pensamento porque nossas perspectivas são ampliadas. Nos tornamos mais abertos nesse sentido e estamos dispostos a explorar alternativas. Conhecer essas descobertas agora, incorporar diversão no trabalho através de atividades de treinamento em equipe ou retiros de vez em quando pode ser um elemento crucial na injeção de criatividade no local de trabalho.

7) Preencha o seu local de trabalho com experiências sensoriais.

A maioria das experiências criativas vem da combinação de duas ideias aparentemente não relacionadas. Encorajar o fluxo de ideias que não tenham relação através de experiências sensoriais pode ajudar os funcionários a encontrar uma nova inspiração.

Por exemplo, você pode pendurar uma arte abstrata provocadora nas paredes para estimular a criatividade na sua equipe, preencher de forma regular o escritório com novos aromas ou tocar música não convencional através de seus alto-falantes. Isso ajudará os funcionários a pensar de novas maneiras e se tornarão mais estimulados pelo meio ambiente. Como um bônus adicional, a maioria dessas adições tem um efeito calmante ou satisfatório sobre as pessoas – para que seu time se sinta mais feliz e seja mais produtivo além de ser mais criativo.

8) Incentive a comunicação e interações pessoais.

Em algumas configurações de escritório, seria possível para os colegas de trabalho, mesmo no mesmo departamento, passar o dia inteiro sem falar um com o outro. Esse tipo de atmosfera está diretamente em oposição a promover um ambiente criativo por alguns motivos. Há muito tempo especulou que o humor afeta a criatividade e, com base em um estudo publicado no Journal of Applied Psychology, é verdade. Incentivar estados de humor ativo entre colegas de trabalho e membros da equipe irão melhorar sua criatividade e uma maneira de fazer isso é através da comunicação interpessoal. Além disso, um ambiente onde as pessoas se sentem livres para se comunicar seria transferido para as sessões de brainstorming em grupo, o que nos leva ao nosso próximo ponto.

9) Estruture seu brainstorming.

Um problema com o brainstorming tradicional é que nem todas as ideias recebem igualdade de oportunidades. As ideias apresentadas no início das reuniões tendem a receber mais atenção, seja elas que merecem ou não. Uma maneira de concontrapor isso é permitir que sua equipe faça um brainstorming individual e escreva em um tempo. Uma vez que todos têm suas ideias escritas, faça a revelação e certifique-se de que cada ideia seja dada a mesma quantidade de tempo para discussão. Também é uma boa maneira de ver padrões e fazer conexões.

10) Permita tempo para absorver cada ideia antes de exigir resultados estruturados.

Mesmo antes de perguntar à sua equipe suas ideias, certifique-se de dar tempo suficiente para pesquisar. Passe uma boa quantidade de tempo simplesmente absorvendo informações sem parar de criar nada ainda. Como a inovação é baseada no conhecimento e, muitas vezes, tácito, quanto mais conhecimento você tiver, mais poderosas serão suas ideias. Isso inclui o uso de experiências como conhecimento – a exposição a coisas novas coloca mais ideias em seu subconsciente, dando-lhe mais para inspiração.

11) Forneça liberdade dentro de limites.

Toda organização ainda precisa cumprir prazos e metas de produtividade, mas existe apenas uma maneira de realizar isso? Está se tornando cada vez mais comum em organizações inovadoras para permitir que seus funcionários tenham liberdade de cumprir esses prazos e metas em qualquer forma que eles se sintam melhor para eles. A TechRepublic sugere fornecer essa liberdade aos funcionários, estabelecendo fronteiras claras em termos de desempenho, consumidor e expectativas da marca.

Pode ser interessante também promover que funcionários e gerentes desenvolvam novas habilidades que lhes permitam trabalhar de forma não tradicional; quando feito corretamente, pode produzir maior eficiência e produtividade e, em última análise, proporcionará melhores resultados e maior inovação.

É crucial pensar em novas maneiras como estimular a criatividade na sua equipe.

Se quiser melhorar os resultados de sua empresa além do óbvio, você pode querer criar uma cultura de inovação e criatividade. Incentivar a criatividade dentro de uma organização é vital para o sucesso a longo prazo. Embora muitas vezes esquecido, um ambiente que promove a criatividade e a inovação ajuda um negócio a crescer e manter seus funcionários felizes.

Os termos criatividade e inovação às vezes são usados de forma intercambiável, mas eles são realmente dois processos muito separados que exigem diferentes conjuntos de habilidades e ambientes para prosperar. A criatividade é a capacidade de ver como algo é feito e tentar encontrar uma maneira de fazê-lo de forma mais eficaz ou divertida. A inovação é o processo de tomar essas ideias criativas e encontrar maneiras de implementá-las de forma a melhorar a produtividade e a lucratividade do negócio. Ambos são necessários para gerar crescimento bem sucedido.

Você pode se interessar ainda: Quais são os tipos de inovação existentes?

A criatividade não vem naturalmente para todos, mas, sob essas condições sugeridas, você encontrará seus empregados com mais ideias, melhores perspectivas e soluções mais intrigantes para os problemas que prejudicam seu negócio. Quanto mais você trabalha em conjunto e quanto mais confortável sua equipe crescer em seu ambiente criativo, melhor você se tornará cada vez mais com ideias criativas.

Antes que você possa ter se dado conta, você pode ter nutrido até a maturidade sua própria classe de novos empreendedores.

Você também pode gostar de:

Pré-inscrição de Curso


×

×

×
[contact-form-7 id="30510" title="Formulário de Locação de Sala"]

×
Interessa em fazer parte da Tribo

A comunidade online vai ser liberada no dia 29 de Maio. Deixe seus contatos aqui e receba acesso em primeira mão!
[activecampaign form=106]

×

Produção Audiovisual na Prática

No curso Produção Audiovisual na Prática, vamos te mostrar a realidade atual e as tendências do mercado, como resolver os problemas que podemos encontrar pelo caminho, como achar o cliente certo e conquistá-los, além de técnicas de roteiro, brief, manuseio de equipamentos, como montar um orçamento e apresentar a proposta ideal de trabalho ao seu público.

Quem é o Professor

Gabriel Marchi é Filmmaker, Diretor Cinematográfico e Jornalista especializado em Produção e Mercado Audiovisual pela PUC PR. Formado em Direção de Fotografia pela AICTV – Academia Internacional de Cinema e Televisão, já criou vídeos dos mais diversos formatos, incluindo documentários, videoclipes, institucionais, filmes publicitários e web vídeos. Atende a demanda de audiovisual Brasil afora, incluindo Ministério da Saúde, History Channel, Orquestra Filarmônica de Curitiba, Shopping Pátio Batel, Shopping Estação, Hospital Vita, Britânia, Philco, diversas agências de publicidade e emissoras locais.

Conteúdo do Curso

Parte 1 – Mercado Audiovisual e onde habita

Parte 2 – Planejamento, orçamentos, roteiros, aluguel e locação de equipamentos

Parte 3 – Set de filmagem

Parte 4 – Luz, câmeram ação

Parte 5 – Criando portfólio

Do que Preciso?

✓ De um caderno, caneta, seu celular bem carregado e criatividade, muita criatividade.

Detalhes do Curso

Data – 05 a 09/11

Horário – 19h às 22h

Duração – 15 horas

Local – Aldeia

×

Edição de Vídeo com Adobe Premiere

No curso Edição de Vídeo com Adobe Premiere, você vai aprender como editar vídeos na prática! O curso é totalmente voltado ao mercado de trabalho e aborda as principais etapas da montagem de um vídeo ou filme. Você vai aprender conceitos de edição, organização, técnicas profissionais de trabalho, edição, sonorização, efeitos até a exportação. Tudo isso sempre ligado a referências, exemplos reais e atividades práticas.

Quem é o Professor

Bruno Baltarejo é professor e coordenador dos cursos de audiovisual no portal TreinaWeb. Trabalha com edição e pós produção de filmes publicitários e cinema desde 2006. Instrutor com diversas certificações internacionais; Authorized Trainer DaVinci Resolve, Adobe Certified Instructor em After Effects, Premiere, Illustrator, Lightroom, Photoshop, Video Specialist.

Conteúdo do Curso

Parte 1 – Introdução ao software

Parte 2 – Diferentes exemplos práticos

Parte 3 – Técnicas de efeitos e truques

Parte 4 – Finalização de um projeto

Do que Preciso?

✓ Do seu notebook com o Adobe Premiere Pro instalado, de preferência na versão mais recente (pode ser a versão de teste).

Detalhes do Curso

Data – 22 e 23/09

Horário – 09h às 18h

Duração – 16 horas

Local – Aldeia

×

Storytelling

Neste curso de Storytelling você aprender na prática o passo a passo para construir boas histórias. Seja para um livro, blog, podcast, TED Talks, redes sociais, apresentação de projetos e etc.

E há técnicas para isso. Desde as mais simples, que você consegue escrever num guardanapo, até as mais minuciosas, em que você gastará páginas e páginas de planejamento, montando cada detalhe da história com o cuidado para que ela nunca deixe de ser interessante.

Quem é o Professor

Ivan Mizanzuk é doutor em Tecnologia (UTFPR) e professor em cursos de Design, Arquitetura e Jornalismo em Curitiba-PR, além de escritor e podcaster. Autor dos livros “Existe Design?” e “Até o Fim da Queda” e host do podcast AntiCast desde 2011. Em 2015 lançou o Projeto Humanos, um dos poucos podcasts em formato storytelling no Brasil, mesmo formato de programas de grande sucesso nos EUA, como Serial, This American Life e Radiolab.

Conteúdo do Curso

Parte 1 – Elementos do arco narrativo; diferentes modelos e formatos

Parte 2 – Construção de personagens e criação de empatia

Parte 3 – Conceito: sua história sempre é maior do que ela conta

Parte 4 – Sucessão de eventos (fórmula Soren)

Parte 5 – Qual é o limite ético em se inventar histórias na publicidade?

Parte 6 – Exemplos e análise na prática

Detalhes do Curso

Data – 06/10

Horário – 10h às 18h

Duração – 7 horas

Local – Aldeia

×

Adobe After Effects

O After Effects é um dos mais antigos softwares da Adobe, imbatível na área de composição para televisão, cinema e internet. É vastamente utilizado na criação de efeitos digitais, cartelas publicitárias, animações vetoriais, tipográficas, infográficos animados e MUITO mais. Este curso aborda uma visão geral deste prestigiado software, ideal para quem está iniciando o uso desta ferramenta. É apresentado a integração com os demais softwares Adobe, técnicas de composição, workflow de produção, animação, entre outros conceitos importantes voltados para a área de Motion Graphics e Efeitos Visuais.

Quem é o Professor

Bruno Baltarejo é professor e coordenador dos cursos de audiovisual no portal TreinaWeb. Trabalha com edição e pós produção de filmes publicitários e cinema desde 2006. Instrutor com diversas certificações  internacionais; Authorized Trainer DaVinci Resolve, Adobe Certified Instructor em After Effects, Premiere, Illustrator, Lightroom, Photoshop, Video Specialist.

Conteúdo do Curso

Parte 1 – Introdução ao After Effects

Parte 2 – Construção da imagem

Parte 3 – Animações na prática

Parte 4 – Efeitos visuais

Parte 5 – Animação de textos

Parte 6 – Introdução ao 2D e 3D

Do que Preciso?

✓ Do seu notebook com o Adobe After Effects instalado, de preferência na versão mais recente (pode ser a versão de teste).

Detalhes do Curso

Data – 20 e 21/10

Horário – 09h às 18h

Duração – 18 horas

Local – Aldeia

×

Youtube Business

No curso YouTube Business, você aprende como montar seu canal, gerenciá-lo com qualidade, monetizá-lo e transformá-lo num negócio rentável. 

Além de entender como definir seu público específico, como começar um canal desde os primeiros passos, definir sua estratégia de conteúdo e linguagem, desenvolver relacionamentos com outros influenciadores e bombar a divulgação do seu canal, seja ele pessoal ou empresarial.

Quem é o Professor

Ricardo Almeida é cofundador da Coletive, aceleradora de canais do YouTube. Desde o início da sua carreira, trabalhou com canais gigantes do Brasil e do exterior, como PC Siqueira, Kéfera, NiceNienke, Gabriel O Pensador, Clara Aguilar e Tesão Piá e empresas como SEBRAE, Positivo e a própria Aldeia. É jornalista pós-graduado em Comunicação Audiovisual e diretor de produção.

Conteúdo do Curso

Parte 1 – Introdução ao YouTube

Parte 2 – Entendendo o mercado e como entrar nele

Parte 3 – Criando um canal de sucesso

Parte 4 – Analisando e otimizando seu canal

Parte 5 – Criando valor para o seu público

Detalhes do Curso

Data – 27/10

Horário – 09h às 18h

Duração – 9 horas

Local – Aldeia

×