global game jam aldeia coworking

Coordenador do curso de jogos da Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUCPR), Bruno Campanolo apresentou, na primeira noite do Make It Big, a palestra sobre o Global Game Jam (GGJ). O evento, que acontece no mundo todo, reúne profissionais de TI no desafio de criar um jogo completo em apenas 48 horas. Campagnolo é um dos organizadores do evento em Curitiba.

O professor começou explicando que o objetivo principal da GGJ é a diversão, tanto dos participantes profissionais quanto do público em geral. A intenção não é criar jogos como os de videogames, até porque eles demandam muito tempo e investimento para ficar prontos – e estes são dois recursos não disponíveis no GGJ.

Colaboração

O ambiente de desenvolvimento dos games tem muita colaboração: não há competição, mas uma soma de conhecimentos e criatividade dos profissionais envolvidos. Campagnolo conta que o interessante é que os jogos têm temáticas e estilos diversos, muitas vezes predeterminados, o que representa um desafio e incentiva as criadores. “O legal do Game Jamp é você trabalhar por temas e exceções. Por exemplo: criar um jogo que também pode ser jogado por gatos”.

Ajudando o mundo

O coordenador explica que a proposta interação também inclui pessoas externas à área de jogos. Ele cita o exemplo do dia em que foram promovidos os “Jogos Ativos”, que uniu a GGJ e os profissionais de Educação Física para criar jogos de movimentos que beneficiassem a saúde.

Outro caso de colaboração desse gênero foi a Seed’s Game Jam, que aconteceu no Simpósio de Estudantes de Engenharia para o Desenvolvimento Sustentável, na PUCPR, em julho deste ano. A proposta desse Game Jam foi unir os representantes da Defesa Civil com os programadores e criar jogos sobre prevenção de catástrofes. “Ao invés de você ler uma apostila chata sobre o trabalho da Defesa Civil, você faz um jogo que vai explicar muito bem esse trabalho”, exemplifica.

Adicionando contatos

Mais um aspecto importante no GGJ é o networking. Como o evento exige que os participantes interajam com profissionais do mundo todo, tem como consequência natural o aumento contínuo da rede de contatos.

Evento rola em janeiro

A GGJ acontece simultaneamente em diversos locais do mundo, com o mesmo tema de criação trabalhado para todos os participantes. A sede do evento em Curitiba é a PUCPR, com coordenação do próprio Campagnolo. O evento (excluindo-se eventuais edições esporádicas) é agendado sempre para o fim de janeiro: o próximo está marcado para ocorrer entre 29 e 31 de janeiro de 2016.

Mais informações estão disponíveis no site.

Livia Mattos, autora do post, é estudante de jornalismo da PUCPR e está participando da cobertura oficial do evento.