É questão de sobrevivência: as empresas estão se transformando todos os dias pra sobreviver em um mercado que se renova constantemente. Existem estimativas de que daqui 10 anos, 47% das empresas de hoje já terão deixado de existir. Em meio a isso, a área de Recursos Humanos pode assumir dois papéis: o de puxar essa mudança ou de se afogar nela.

Quem recruta novos profissionais precisa ficar antenado nas transformações do mercado, nos novos comportamentos e tendências que estão surgindo. De olho em tudo isso, o RH também pode ser criativo e inovador, acompanhando as novidades, se adaptando às novas tecnologias e transformando as estratégias de recrutamento e, por consequência, toda a empresa.

RH é tech

O setor de Recursos Humanos também pode (e deve) usufruir das facilidades que a tecnologia proporciona. Se antes o pessoal do RH perdia um tempo precioso com CVs de papel e inúmeros arquivos com fichas de funcionários, agora existem softwares que ajudam durante todo o processo de recrutamento e seleção.

As mídias sociais, por exemplo, dão uma força pro RH quando o assunto é recrutamento. É por lá que novos talentos podem ser descobertos e selecionados. Sempre online, 60% dos millennials usam as redes sociais para encontrar uma vaguinha, segundo os dados divulgados pela revista Exame.

A tecnologia vai além: os RHs hoje podem ter em mãos softwares de mapeamento comportamental e ferramentas que acompanham o desempenho dos colaboradores.

Os dispositivos também ajudam na comunicação interna da empresa, principalmente com o home office se tornando mais comum, assim como sedes de uma mesma empresa distantes umas das outras.

Todos os colaboradores da empresa estão ligados pelo RH e, consequentemente, pela tecnologia que os aproxima.

Conhecimento é poder

Sempre é possível aprender mais, certo? Mesmo uma equipe que já é incrível quer se aprimorar por meio de novas ferramentas, recursos e estratégias. O RH pode puxar a mudança organizando atividades que acrescentem ainda mais habilidades e conhecimentos para os colaboradores.

O treinamento de um novo software, o desconto em um curso legal, uma reunião pro pessoal chegar com sugestões ou palestras com profissionais fodas são opções, mas o céu é o limite para proporcionar boas experiências ao time.

Um RH inovador que está por dentro das novidades atrai o interesse e aperfeiçoa ainda mais a equipe. Os Recursos Humanos estão aí pra que essas iniciativas saiam do papel e aconteçam e o RH precisa descobrir maneiras novas e inteligentes de investir em capacitação.

Bora pra um joguinho?

Essa é para os fãs dos games: agora os jogos também podem integrar um ambiente corporativo. Dentro do contexto da empresa, os games podem se tornar uma estratégia mais lúdica para gerar conhecimento e colaboração: essa é a chamada gamificação.

Pra entender melhor, vamos pensar em um exemplo mais prático. No site de algumas empresas, o campo para cadastrar o currículo contam com uma outra etapa: um game. Ali, quem está interessado em mandar o CV vai jogar e, de acordo com as decisões em tal jogo, o RH pode avaliar o candidato.

A inovação pode parecer até simples, mas as escolhas de um jogo podem dizer muito sobre nós. Além disso, o game durante um treinamento incentiva o aprendizado de uma forma saudável e interessante. A absorção do conteúdo é natural, quer dizer, o que é aprendido vem de forma mais orgânica e as dificuldades são mais fáceis de serem observadas. 

Unindo forças com o Marketing

Pois é, não existe nada que não tenha um toque do marketing. No caso do RH, o endomarketing é uma mão na roda pra engajar colaboradores e criar um bom ambiente de trabalho. Passos como estreitar o diálogo através de canais de comunicação e organizar atividades específicas para cada equipe proporcionam um time muito mais engajado e consequentemente, mais resultados para a empresa.

Aí aparece o Employer Brand, que é como o perfil empregador da empresa aparece para a sociedade. Tudo que o local fornece para o colaborador é um ponto, positivo ou não, para chamar atenção de novos talentos. Uma empresa atraente tem diferenciais, um ambiente integrado e muito planejamento por trás da marca.

Quem é responsável para gerenciar a marca do empregador é o RH em parceria com o marketing. Por isso é importante que os Recursos Humanos desenvolva um papel estratégico, inovador e adaptado ao mercado, mas também integrado com as outras áreas da empresa.

O mundo é para Inovadores

Se para Damien Chazelle, diretor do premiado filme La La Land, o mundo é para sonhadores, no mundo do RH é para inovadores. Então, respondendo à pergunta do título: tem, sim, como inovar nos Recursos Humanos.

A área vem desenvolvendo estratégias para se adaptar às novas relações de trabalho com o aparecimento da tecnologia no ambiente corporativo, como mídias sociais e softwares de dados. Só é preciso conhecer e aprimorar técnicas para otimizar o seu trabalho como recrutador e incentivador de um time e ser o coração da mudança de que a empresa precisa para continuar viva.

Quer inovar no seu RH?

O trabalho do RH é desafiador, independentemente do tamanho da empresa. Pra ficar por dentro das novidades e não perder nenhum talento, chega mais no Curso de Inovação no RH em Curitiba da Aldeia pra conhecer ainda mais sobre o assunto.

Este conteúdo faz parte do SPTF: Seu Próximo Trabalho Foda, braço da Aldeia que conecta realizadores com o mercado. Se você quer receber conteúdos como esse em sua caixa de entrada e ter prioridade nas próximas ações do SPTF, se cadastre na lista neste link!