Foi-se o tempo em que ter um site era grande coisa. Em poucos anos, ter um site foi rebaixado de diferencial para pré-requisito, especialmente se você tem um negócio.

Sim, estou dizendo que ter um site não é nada demais. Criar um site apenas por criá-lo é como montar uma loja no porão dos fundos de uma casa residencial de um bairro remoto: ninguém vai chegar lá e, quando chegar, não vai ter uma experiência boa o suficiente para virar seu cliente.

Por isso você precisa de (e você quer!) um site eficiente, um site que funcione. Você quer a loja bem localizada, que seja fácil de encontrar e que, quando encontrada, encante e faça as pessoas terem vontade de ficar lá dentro.

“É claro que é isso que eu quero”, você deve ter pensado, mas como fazer isso? A resposta está nos próximos parágrafos. Vamos lá?

O que é um site eficiente.

Existem várias definições para o termo “eficiente”, e elas podem variar de acordo com o contexto em que ele é utilizado. Na área de desenvolvimento de sites, ele pode ser traduzido da seguinte forma:

Disposição de tecnologias, recursos e conteúdos que visam facilitar a interação de consumidores com a marca, aumentando as chances dos mesmos em se tornarem clientes a partir da aquisição de produtos ou serviços oferecidos pela empresa.

Escolha da hospedagem, criação do protótipo e otimização de conteúdo são alguns exemplos de aspectos técnicos e estéticos que devem ser considerados durante todo o processo de desenvolvimento de um site.

Ok, já temos alguns requisitos básicos, mas queremos ir além. Um site só é eficiente quando atinge o objetivo definido por você. Sim, é você quem vai decidir o que é um site de sucesso.

  • Eficiente é vender os produtos que coloco em minha loja;
  • Eficiente é quando os artigos do meu blog são lidos por completo;
  • Eficiente é quando 2% dos visitantes entram em contato;
  • Eficiente é quando o usuário não entra em contato, pois encontrou o que precisava no site;
  • Eficiente é o que você vai definir, de acordo com seu negócio.

A checklist do seu futuro site.

Já entendemos que você deve começar definindo seu objetivo, correto? Pense nisso e, enquanto isso, vamos descobrir o que mais precisamos fazer:

Aspectos técnicos

Podemos definir como aspectos técnicos todos os processos e ferramentas que não aparecem para os visitantes, mas são essenciais para garantir o bom funcionamento do site no que diz respeito a responsividade, acessibilidade, velocidade e otimização para sistemas de buscas (SEO).

Tudo isso pode (e deve) ser analisado regularmente quando se trata de um site eficiente, pois permite a mensuração de resultados e implementação de medidas para melhoramentos futuros.

Entre os aspectos que você deve dar atenção estão:

  • Domínio;
  • Hospedagem;
  • Plataforma;
  • Arquitetura do Site;
  • Velocidade do Site;
  • Segurança.

Comunicação

Tão importante quanto o que você vai comunicar aos seus consumidores, é a forma como a mensagem será entendida por eles.

Com o intuito de se aproximar cada vez mais do seu público e, consequentemente, gerar confiança e admiração por parte deles, a linha comunicativa tem o objetivo de estabelecer um padrão de linguagem que será utilizado por sua empresa quando os olhos do usuário cruzarem com seu site.

Se o seu público for jovens que gostam de Beatles, por exemplo, uma linguagem mais informal e com termos mais conhecidos entre pessoas que gostam de rock seria muito mais interessante do que uma linguagem formal, voltada à executivos da indústria têxtil.

Quando for definir a comunicação do seu site, dê atenção a estes pontos:

  • Design (Está alinhado com sua empresa e com seu público?)
  • Conteúdo textual;
  • Conteúdo em imagens;
  • Conteúdo em vídeos;
  • Otimização do conteúdo para SEO;
  • Integração com mídias sociais e outros pontos de contato

Conversão

Ok. Agora você já tem um site bom, bonito e funcional. Mas o que precisamos mesmo, no fim das contas, é converter tudo isso em dinheiro.

A ideia é fazer com que seu usuário sinta-se confortável o suficiente a ponto de preencher um formulário, te seguir nas mídias sociais, fazer o download de seu conteúdo ou mesmo te ligar. Assim como seus objetivos, é você quem deve definir o que é uma conversão.

Uma premissa básica para caracterizar uma conversão é ter os dados do seu usuário. A partir daquele momento você transforma o monólogo num diálogo, abrem-se as portas para criar-se um relacionamento, seja através do e-mail, telefone ou mídia social do seu futuro cliente.

Algumas formas de converter usuários do seu site em leads/clientes são:

  • Formulários de contato;
  • Download de e-books;
  • Inscrição em cursos ou eventos;
  • Inscrição em listas de e-mail;
  • Seguir sua página ou perfil nas mídias sociais.

Análise

Sinto-lhe informar, mas seu site nunca estará pronto. Desculpa, mas se você quer um site eficiente, essa é a verdade. Um site é um produto em constante desenvolvimento. É uma eterna criança aprendendo com os usuários e se adaptando às mudanças de mercado (pelo menos, deveria).

Se está pronto, está ultrapassado.

Cabe a você analisar constantemente o seu site, seu público e como eles se comportam quando estão juntos. Para tal, te apresento seu novo melhor amigo: o Google Analytics. Dentro desta plataforma você vai conseguir saber coisas valiosíssimas como:

  • Quantas pessoas têm acessado seu site;
  • Por onde eles têm acessado seu site;
  • Quais páginas têm visitado;
  • Quanto tempo permanecem no seu site;
  • Quais são os dados demográficos e geográficos deles;
  • Entre outras.

Por meio destas análises, você vai começar a entender que talvez sua página inicial não esteja tão intuitiva. Talvez a página que você quer que as pessoas cheguem está difícil de encontrar. Talvez o seu site demore para carregar em dispositivos móveis, por isso as pessoas desistem. E assim por diante.

E depois que os insights vierem, mais trabalho a fazer!

Um abraço e mãos à obra!