Antigamente, o conceito de polímata – aquele que sabe muito sobre diferentes áreas do conhecimento – era muito ligado a cientistas e inventores. Hoje em dia, com a especialização cada vez maior do conhecimento técnico, o conceito começou a ser mais utilizado para outros fins. Uma das aplicações mais populares é no mundo dos negócios. Um bom empreendedor, executivo ou gestor público precisa ter o domínio de muitos assuntos diferentes para conseguir desempenhar bem as suas funções. Nós pesquisamos alguns exemplos de mulheres polímatas da atualidade para ilustrar esse conceito moderno de polimatia.

Christine Lagarde

Direito, economia, gestão pública e comércio exterior.

Filha de pais professores, se graduou em direito em 1973. Tem mestrados em inglês, direito social e direito do trabalho. Entrou em um grande escritório de advocacia internacional em 1981, chegou ao comitê executivo em 1995 e se tornou a primeira Presidente do Comitê Executivo em 1999.

Em 2005, ela foi convidada para ser a Ministra do Comércio Exterior da França. Em 2007, foi transferida para o cargo mais alta do Ministério da Agricultura. Já no mês seguinte, este exemplar perfeito de mulher polímata acabou se tornando a primeira senhora a liderar o Ministério da Fazenda de uma das 20 maiores economias do mundo. Em 2011, foi a primeira mulher eleita para o cargo de Diretora-Gerente do FMI, cargo para o qual foi reeleita por mais 5 anos em 2016.

Sheryl Sandberg

Economia, vendas, gestão estratégica e desenvolvimento de negócios.

Sheryl se graduou em 1991 pela universidade de Harvard como a melhor economista de sua classe. Trabalhou como assistente no Banco Mundial por cerca de um ano e, logo em seguida, entrou em um MBA na mesma instituição que se graduou. Conseguiu seu diploma em 1995 e, depois de um ano em uma grande empresa de consultoria, foi trabalhar como assistente do Secretário do Tesouro americano. Somente o que ela fez até aqui poderia já poderia garantir um título honorário no clube das mulheres polímatas, mas o mais impressionante ainda está por vir.

Em 2001, mudou-se para o Vale do Silício para ser a Vice-Presidente Global de Operações e Vendas Online do Google. Foi em 2008, que recebeu o convite de Mark Zuckerberg para ser a segunda na hierarquia da empresa, ocupando desde então o cargo de Diretora de Operações (COO) do Facebook, sendo responsável por vendas, marketing, desenvolvimento de negócios, recursos humanos, políticas públicas e comunicação.

Oprah Winfrey

Comunicação, escrita, atuação artística, empreendedorismo e gestão de negócios.

Depois de uma infância muito difícil, Oprah acabou conseguindo uma bolsa de estudos em uma universidade americana, onde estudou comunicação. Em 1976, ela começou a sua carreira no mundo da televisão como a primeira negra a ocupar o cargo de âncora do jornal de Nashville na WLAC-TV. Em 1984, ela estreou em no talk show AM Chicago, que ocupava o último lugar em audiência. Depois de apenas alguns meses, o programa atingiu a maior audiência da região da cidade.

O sucesso fez com que em 1986 ela ganhasse o seu próprio show, o The Oprah Winfrey Show. Sempre um sucesso de público e crítica, o último episódio foi ao ar em 2011. Já foi indicada ao Oscar por sua participação em um filme, é dona de um canal de televisão, de revistas e já escreveu cinco livros. Ou seja, qualquer lista de mulheres polímatas não estaria completa sem o nome dela. Hoje é conhecida como a “Rainha de todas as mídias”, é a única multibilionária negra americana e é considerada uma das maiores filantropas de todos os tempos.

Angela Merkel

Física, química, política, gestão pública, economia e diplomacia.

Estudou física na universidade de Leipzig de 1973 a 1978. A partir de então, começou a trabalhar no Instituto Central de Físico-Química e acabou ganhando o título de doutora por sua tese em química quântica. A partir de 1989, começou a se envolver no movimento democrático após a queda do Muro de Berlim. Em 1990, foi eleita deputada e em 1994 foi nomeada Ministra do Meio Ambiente.

A partir de 1998, esta mulher polímata começou a se destacar como uma líder do seu partido, que agora estava na oposição. Em 2000, assumiu o posto de líder do partido CDU, que ocupa até hoje. No de 2005, depois de uma eleição muito próxima, um acordo a permitiu subir ao cargo mais alto do poder executivo alemão, o cargo de Chanceler. Nos anos de 2009 e 2013 se reelegeu para o cargo por mais quatro anos. Ela é descrita como a líder de facto da União Europeia. Já foi escolhida como a mulher mais poderosa do mundo por 10 vezes, já foi escolhida pela revista Time como a “Pessoa do Ano” e já foi escolhida pela revista Forbes como a segunda pessoa mais poderosa do mundo, posição mais alta atingida por uma mulher.

Rashmi Sinha

Psicologia, empreendedorismo, gestão de negócios, experiência do usuário.

Nascida na cidade de Lucknow na Índia, conseguiu o título de PhD em neuropsicologia cognitiva pela prestigiada Brown University, nos EUA. Logo na sequência, foi trabalhar na Universidade da Califórnia, onde mudou seu foco para a interface entre humanos e computadores. Eventualmente, largou seu emprego lá ao decidir que gostava mais de trabalhar com problemas práticos do que teóricos e abriu uma consultoria em experiência do usuário.

Simultaneamente, começou a construir em conjunto com o seu marido e o seu irmão o SlideShare, um site para que as pessoas compartilhem suas apresentações, e o lançou em 2006. Em 2012, o LinkedIn comprou a startup por 100 milhões de dólares. Até hoje, mais de 9 milhões de apresentações foram compartilhadas na plataforma de conexão de profissionais por conteúdo. Hoje, a mulher polímata ocupa o posto de CEO do SlideShare e já foi escolhida uma das 10 mulheres mais empreendedoras do mundo pelas publicações Fortune e Fast Company.

Mulheres polímatas em Curitiba.

Além de grandes exemplos mundiais de mulheres polímatas, também temos alguns exemplos de “gente como a gente”. Dentro da Rede da Polímatas, podemos citar a Marcela Milano, que é a empreendedora por trás de um projeto focado em refugiados e imigrantes e com um modelo de negócios empresarial diferente do comum, que não visa somente o lucro. Conheça a Linyon, negócio social que ajuda refugiados a entrar no mercado de trabalho.

Outro exemplo que temos são as empreendedoras, Angela e Sheyla Coraiola, que são sócias em três empresas de educação. A seguir separamos o link para quem quiser conhecer a jornada das duas irmãs que se aventuraram no mundo dos negócios em um post que fizemos exclusivamente para contá-la. Duas irmãs, três empresas e a educação.

Você também pode gostar de:

Pré-inscrição de Curso









×

y

×

×








×
Interessa em fazer parte da Tribo

A comunidade online vai ser liberada no dia 29 de Maio. Deixe seus contatos aqui e receba acesso em primeira mão!
[activecampaign form=106]

×